A Sondagem das Indústrias Extrativas e de Transformação do Rio Grande do Norte, elaborada pela FIERN, mostra que, em outubro, o conjunto da indústria potiguar registrou aumento menos acentuado na produção industrial comparativamente ao levantamento anterior. O nível médio de utilização da capacidade instalada (UCI), por sua vez, caiu de 71% para 69%, e foi considerado pelos empresários consultados como abaixo do padrão usual para meses de outubro. O número de empregados, registrou nova queda, mantendo a tendência que vem sendo observada desde outubro de 2017. Além disso, os estoques de produtos finais ficaram estáveis, mas em patamar inferior ao esperado pelos empresários industriais.

 

 

 

Todos os índices de expectativa apresentaram queda em novembro, comparativamente ao levantamento anterior, mas, à exceção do indicador do número de empregados (47,0 pontos), permanecem acima da linha divisória de 50 pontos, revelando que os empresários potiguares mantêm sentimento de otimismo quanto à evolução da demanda, das compras de matérias-primas e das exportações nos próximos seis meses. O índice de intenção de investimento, por sua vez, cresceu 6,2 pontos entre outubro e novembro de 2020, passando de 48,4 para 54,6 pontos.

 

 

Quando comparados os dois portes de empresa pesquisados, observa-se comportamento divergente em importantes aspectos. As pequenas indústrias voltaram a registrar aumento na produção e queda menos intensa nos estoques de produtos finais em relação ao levantamento de setembro. Além disso, as expectativas com relação aos próximos seis meses são de manutenção – em níveis ainda baixos – na demanda, nas compras de matérias-primas e na quantidade exportada de seus produtos. As médias e grandes empresas, por seu turno, registraram estabilidade na produção, aumento nos estoques de produtos finais; e as perspectivas para os próximos seis meses, são de crescimento na demanda, nas compras de insumos e nas exportações.

 

 

Comparando-se os indicadores avaliados pela nossa Sondagem Industrial com os resultados divulgados em 19/11 pela CNI para o conjunto do Brasil, observa-se que, de um modo geral, as avaliações convergiram, com a diferença de que na indústria nacional os empresários reportaram atividade acima do usual para o mês, aumento no número de empregados, queda nos estoques de produtos finais e expectativas otimistas com relação ao pessoal ocupado nos próximos seis meses.

 

 

Os resultados da Sondagem das Indústrias Extrativas e de Transformação do Rio Grande do Norte, realizada entre os dias 3 e 12 de novembro de 2020, mostram que a atividade industrial potiguar cresceu menos na passagem de setembro para outubro. O indicador de evolução da produção caiu 6,8 pontos em outubro, passando de 57,7 para 50,9 pontos, mas permanece acima de 50 pontos, mostrando crescimento em relação ao mês anterior, ainda que em menor intensidade. Na comparação com outubro de 2019, o índice apontou recuo de 4,2 pontos (55,1 pontos).

 

 

O indicador de evolução da produção caiu 6,8 pontos em outubro, passando de 57,7 para 50,9 pontos, mas permanece acima de 50 pontos, mostrando crescimento em relação ao mês anterior, ainda que em menor intensidade. Na comparação com outubro de 2019, o índice apontou recuo de 4,2 pontos (55,1 pontos). O indicador das pequenas indústrias passou de 43,2 para 53,6 pontos, revelando aumento em relação ao mês anterior.