O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), maior complexo de educação profissional da América Latina e detentor da maior rede de institutos privados do Brasil para Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) da indústria, inaugura oficialmente terça-feira (15), no Rio Grande do Norte, o único polo tecnológico e de pesquisas de ponta da rede no país voltado à energia eólica e solar: o Instituto Senai de Inovação em Energias Renováveis, o ISI-ER.

A cerimônia marca a conclusão das instalações e a operação plena dos laboratórios do Instituto, cujas atividades tiveram início e vêm acelerando em Natal, capital do estado, desde 2019.

O Rio Grande do Norte – escolhido como sede da unidade – é o maior produtor de energia eólica do Brasil e também o estado com a maior potência prevista para os próximos anos.

A expectativa com o ISI é atender a demandas que ajudam a impulsionar a competitividade da indústria não só local e nacional, uma vez que projetos e parcerias já estão em negociação com Instituições de países como Alemanha, Japão e Dinamarca.

“O ISI-ER chega para o SENAI como grande porta da inovação, da pesquisa, do futuro das energias renováveis, e traz às empresas oportunidades de novos negócios no setor”, diz o presidente do Conselho Regional do SENAI-RN e do Sistema FIERN – que engloba SENAI, SESI,IEL e Federação das Indústrias do estado – Amaro Sales de Araújo.

A inauguração oficial da unidade será realizada a partir das 17h com a cerimônia transmitida no canal do SENAI RN no YouTube. Os ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, são convidados do evento, além de representantes da Confederação da Indústria (CNI) e do Sistema FIERN.

Inovação

O ISI-ER foi concebido dentro da rede de Institutos Senai de Inovação, que começou a ser implantada no Brasil há aproximadamente 9 anos e possui atualmente 26 unidades, distribuídas em 12 estados, de Norte a Sul do país.

Além do Instituto potiguar, voltado às energias renováveis, a rede engloba áreas como tecnologias minerais, microeletrônica, biomassa, eletroquímica, metalmecânica, automação da produção, logística e tecnologias da informação e comunicação (veja a relação completa no mapa: http://institutos.senai.br/).

ISI-ER

No Rio Grande do Norte, o ISI está instalado em uma área de 20.000 metros quadrados – equivalente a dois campos de futebol – em uma estrutura que conta com laboratórios onde pesquisas aplicadas e tecnologias são desenvolvidas sob demanda de indústrias em busca de aumento da produtividade e redução de custos.

“A infraestrutura, equipamentos e pessoal capacitado que colocamos à disposição da indústria das energias renováveis, atendem às mais diversas e exigentes normas e atividades necessárias na área, além de outras demandas que devem se somar brevemente, face a projetos e parcerias que estão sendo encampadas com Instituições Nacionais e com outros países”, observa Emerson Batista, diretor regional do Senai-RN.

Entre os diferenciais da unidade, um dos destaques é o primeiro laboratório Túnel de Vento do Brasil, projetado para simulações do comportamento do ar em relação a diferentes objetos e equipamentos – o que permite, por exemplo, a avaliação da resistência e do nível de eficiência de materiais submetidos a diferentes intensidades de ventos.

Pesquisas

Pesquisas e tecnologias são desenvolvidas no Instituto por uma equipe multidisciplinar composta por doutores, mestres, engenheiros e técnicos em diferentes áreas.

Os trabalhos focam especialmente em Metereologia, Sustentabilidade, e nas duas fontes de energias renováveis mais utilizadas no Brasil, a eólica e a solar – um setor descrito pelo diretor do ISI-ER e do Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGás-ER), Rodrigo Mello, como de rápido desenvolvimento e de uso intensivo de tecnologias.

“Nosso trabalho”, diz ele, “tem a perspectiva de oferecer as respostas que a indústria requer, com tecnologias nacionais capazes de fazer a diferença no parque de produção”.

Mercado

A carteira de projetos do Instituto, explica o diretor, engloba serviços prestados a diferentes elos da cadeia produtiva e já vem atendendo à demanda desde empresas locais até multinacionais.

Em dois anos de operações iniciais, o ISI-ER acumula contratos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) que superam os R$ 20 milhões e os planos, segundo Mello, são de expansão dos projetos na esteira do crescimento do setor e do avanço das energias renováveis na matriz energética nacional.

Um estudo da consultoria GO Associados, divulgado pela Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), aponta que entre 2011 e 2019, apenas o setor eólico investiu R$ 66,9 bilhões no país, considerando as áreas de máquinas e equipamentos, inclusive manutenção e reparos e aquisição de produtos e a contratação de serviços no mercado doméstico.

RAIO-X DO ISI-ER

O que: Instituto Senai de Inovação em Energias Renováveis

Atuação: Desenvolvimento de pesquisas aplicadas e de tecnologias voltadas às áreas de energia eólica, solar e à sustentabilidade.

Sede: Natal, capital do Rio Grande do Norte, estado brasileiro com a maior potência instalada e prevista para geração de energia eólica, e o 16º no ranking nacional de potência instalada para geração de energia solar, segundo dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica) e da Associação Brasileira de Energia Solar, Absolar.

Investimento: o Instituto Senai de Inovação em Energias Renováveis recebeu R$ 15 milhões em investimentos em obras e equipamentos, em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Laboratórios

De pesquisas e serviços de ensaios de materiais compósitos, de corte, de radiômetros, de testes para placas fotovoltaicas, de Inversores, de afundamento de tensão, de qualidade de óleo, de reforma de gases, de emissão, Túnel de Vento, entre outros.