Após meses de espera pela vacina contra a Covid-19, o chefe do setor de Informática da Secretaria de Trabalho e Assistência Social de Natal (Semtas), Bruno Corrêa, recebeu uma dose da CoronaVac no primeiro dia da campanha de imunização na capital potiguar. O servidor da Prefeitura de Natal, no entanto, não se enquadra no grupo prioritário que foi definido pela Secretaria Municipal de Saúde para ser imunizado na fase I.

Bruno postou uma foto em sua conta no Instagram recebendo a vacina no Ginásio Nélio Dias, na Zona Norte, nesta quarta-feira (20). Ele apagou a imagem pouco tempo depois, após a repercussão negativa.

Na legenda, o servidor diz que tomou a vacina como “voluntário no Programa Municipal de Vacinação” e parabenizou o prefeito de Natal, Álvaro Dias, por ter dado início à imunização na capital potiguar.

Bruno foi nomeado na terça-feira (19) como chefe do setor de informática da Semtas, secretaria que é comandada pelo filho do prefeito, Adjuto Dias, nomeado na última sexta-feira (15).

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou ao portal Grande Ponto que não foi apenas Bruno Corrêa quem furou a fila da vacinação, mas “algumas pessoas que estão trabalhando foram vacinadas”. A SMS considerou o fato com um “equívoco” e acrescentou que casos semelhantes ocorreram tanto no Ginásio Nélio Dias quanto na Arena das Dunas.

“No início da abertura do drive Arena das Dunas e Nélio Dias algumas pessoas que estão trabalhando foram vacinados. Esse equívoco já foi sanado, uma vez que de acordo que o Ministério da Saúde é para vacinar os envolvidos na ação, porém devido a pequena quantidade de doses recebidas, neste momento Natal não vai vacinar os envolvidos”, diz a nota da SMS.

O portal Grande Ponto entrou em contato com o servidor municipal que foi vacinado indevidamente. Ele respondeu, por meio do Instagram, que enviaria uma nota de esclarecimento. No entanto, nenhuma resposta chegou até o fechamento da matéria.

VACINAÇÃO

A Prefeitura do Natal iniciou a vacinação contra a Covid-19 nesta quarta-feira (20). O prefeito Álvaro Dias aplicou a primeira vacina na técnica de enfermagem da UPA Pajuçara, Ednalva Maurício da Silva, 54 anos. O ato simbólico foi realizado no Ginásio Nélio Dias, na Zona Norte.

Natal recebeu no primeiro lote 12.235 doses d CoronaVac, o que levou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) a adotar como estratégia inicial a aplicação do imunizante nos idosos residentes em instituições de longa permanência e nos profissionais da saúde que estão no enfrentamento direto à doença, com a comprovação do efetivo exercício de suas funções nas seguintes unidades: Upas, Hospital Giselda Trigueiro, Hospital de Campanha de Natal, Pronto Atendimento Odontológico Morton Mariz, maternidades públicas e privadas, prontos-socorros públicos e privados, UTIs e nos Centros de Enfrentamento à Covid-19 de Natal.

A vacinação do servidor da Semtas vai de encontro ao que foi divulgado pela própria SMS, que definiu que o imunizante seria aplicado, nessa primeira fase, em idosos residentes em instituições de longa permanência e nos profissionais da saúde que atua na linha de frente do combate à pandemia. Apesar disso, a nota da SMS diz que, além de Bruno, foram vacinadas “algumas pessoas que estão trabalhando”.

Além do ginásio Nélio Dias, a campanha está sendo realizada no shopping Via Direta, no Palácio dos Esportes e na Arena das Dunas, cobrindo as quatro regiões de Natal. Depois de aplicar a primeira vacina na cidade, o prefeito Álvaro Dias visitou os quatro “drives” acompanhado de auxiliares da Secretaria Municipal de Saúde e de outras pastas envolvidas na operação.

SINDICATO

O Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Natal (Sinsenat), recebeu a denúncia de que outros servidores que não estão contemplados na fase I da vacinação também receberam doses do imunizante.

“Uma situação gravíssima. Dentro de um cenário de escassez de vacinas que contemple toda a equipe multidisciplinar que atua nos locais de combate à pandemia em Natal, pessoas que estão enfrentando o risco diário de contaminação pela atuação direta com o coronavírus, você imunizar jovens que não tem o perfil para receber a vacina nessa fase”, desabafou a coordenadora do Sinsenat, Soraya Godeiro, que apresentará denúncia no Ministério Público do Trabalho e da Saúde.

Soraya atribui a falta de transparência à realização, pela prefeitura, da vacinação por drive thru. Segundo o sindicato, o mais apropriado seria vacinar os profissionais nos locais de trabalho, já que as doses recebidas só atenderão os profissionais da saúde.

“As denúncias recebidas comprovam o questionamento feito pelas entidades sindicais sobre esse formato escolhido pela prefeitura. Por que não vacinar as pessoas nos locais de trabalho? A quem interessa isso?”, questiona Soraya.