A partir do mês de fevereiro, a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN) retoma a fase prática de implementação do seu Programa de Compliance, que visa o cumprimento das normas para evitar todas as situações que possam enfraquecer o Sistema FIERN no mercado ou afetar sua credibilidade. A gestora do Programa de Compliance do Sistema, Gabriella Rebouças, informou que foi contratada a consultoria do SENAI/SC para implementação do Compliance do Sistema FIERN durante este ano. “Começamos o ciclo 02 em dezembro de 2021 e retomaremos em fevereiro de 2022 com a programação intensa, cuja duração é de um ano”, disse.

A Gestão Corporativa de Compliance é formada por pessoas, sistemas, processos, documentos e atividades fundamentais para orientar os esforços de todos na busca pela conformidade e tem como pilares comprometimento e apoio da alta direção; compromisso com a ética e a transparência; gerenciamento de riscos e controles internos; estratégias de treinamento, monitoramento, remediação e melhoria contínua.

Os primeiros passos para a implantação do Programa de Compliance já vêm alcançando resultados importantes no Sistema FIERN. Em 2021, SENAI/RN e SESI/RN foram inseridos no rol de 147 organizações do Brasil com menor exposição a riscos de fraude e corrupção. O resultado confere às duas instituições, na prática, uma classificação conhecida como “selo verde”, que indica a presença de sistemas de proteção que as tornam menos suscetíveis a esse tipo de ocorrência.

Gabriella Rebouças explica que o Programa Corporativo de Compliance estabelece procedimentos para prevenir, detectar e remediar riscos relacionados ao cumprimento de leis e regulamentos sob a perspectiva da ética e da integridade.

“Por isso, que estabelece tanto para os terceiros, como para os colaboradores, qual a imagem que a empresa quer passar e seu comprometimento em buscar soluções antes que o problema apareça. Desta forma, o Compliance trata-se de uma área que trata de conformidade, ou seja, é a área responsável por verificar se todos os setores do Sistema FIERN estão trabalhando de acordo com os normativos internos e também com as leis e regulamentos externos”, explicou.

A gestora lista as vantagens de se ter o Compliance em uma empresa: atração de investidores e investimentos; identificação de riscos e prevenção de problemas; ganho de credibilidade; melhoria da eficiência e qualidade dos serviços/produtos; aumento da governança; consolidação de uma cultura organizacional; sustentabilidade; e correção efetiva de não-conformidades.

Gabriella Rebouças comenta que por terem se tornado tão importantes, os Programas de Compliance passaram a representar uma vantagem competitiva relevante. “Os agentes do mercado tendem, cada vez mais, a preferir contratar com empresas que apresentem uma estrutura bem delineada de Compliance, uma vez que ela confere maior segurança às operações”, disse.