As ações da Petrobras despencam no pré-mercado de Nova York nesta segunda-feira (22), com os investidores reagindo negativamente à decisão do presidente Jair Bolsonaro de trocar o comando da estatal, indicando uma abertura turbulenta também na bolsa brasileira.

Por volta das 8h30 os ADRs da Petrobras (recibos das ações da petroleira negociados na Bolsa de Nova York) caíam 16,92%, a US$ 8,35.

Na noite de sexta-feira, Bolsonaro anunciou a indicação do general Joaquim Silva e Luna, atual diretor da Itaipu Binacional, para a presidência da Petrobras, no lugar de Roberto Castello Branco.

No Brasil, a Bovespa fechou na sexta antes do anúncio da troca, mas as ações da estatal também caíram forte por conta de declarações anteriores de Bolsonaro. As ações preferenciais da Petrobras recuaram mais de 6% na Bovespa, enquanto as ordinárias caíram 7,50%. Com a queda, a companhia perdeu em um único dia R$ 28 bilhões em valor de mercado, segundo dados da Economatica.

A troca na presidência da Petrobras gerou críticas. Entre elas, do ex-secretário de Desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, que considerou a decisão "lastimável". O ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco tuitou: "Boa tarde, Venezuela".

A expectativa é de um novo tombo nesta segunda, em meio a preocupações de investidores em relação à política de preços da Petrobras e de temores de intervenção do governo na estatal.

Com informações do G1