Magoados pelo abandono que dizem ter sofrido do pai, Cid Moreira, de 93 anos, dois filhos dele se uniram para formar a família que nunca tiveram. Rodrigo Radenzev Simões Moreira, 52, e Roger Moreira, 45, se conheceram virtualmente apenas nesta semana e decidiram criar um vínculo como irmãos. "Vamos continuar amigos para dar essa volta por cima, tentar amenizar tudo isso e ter uma vida melhor", declara o mais jovem.

"Agora vamos manter a família. Gostei muito dele e passamos a ter contato. Ele é uma pessoa legal, tranquila e gente boa. Quero a convivência com ele como irmão, assim como a gente quer com o nosso pai. Não queremos o dinheiro dele. Isso ele tem que usar como achar melhor até o fim da vida dele. Não é isso que desejamos, queremos conviver com ele. Só que o único jeito de sermos ouvidos foi dessa maneira", destaca para o Notícias da TV.

Nesta semana, Roger concedeu entrevista para o A Hora da Venenosa, no Balanço Geral, sobre sua relação com o ex-apresentador da Globo. Adotado aos 20 anos pelo jornalista, o cabeleireiro acusou veterano de "deserdá-lo" ao ter seu nome retirado do testamento. Apesar da briga, a legislação brasileira não permite deserdar filhos.

Há um ano e meio, Roger entrou com ação na Justiça contra o comunicador, alegando abandono afetivo. Circula na imprensa, aliás, que ele teria uma ação trabalhista contra o profissional. Ele nega. "Nunca existiu. Até peço para apresentarem as provas. Não existe, não sei de onde tiraram isso", frisa.

Sendo filho afetivo do jornalista na fase adulta, Roger conviveu com o pai por um período de sua vida. O irmão, por sua vez, contou que não teve proximidade alguma com seu progenitor. Ele também foi ao noticiário da Record relatar sua história de abandono.

Rodrigo é fruto do casamento do veterano com Olga Verônica Radenzev Simões. Os dois ficaram juntos no início da década de 1970. Após a separação, a mãe teria tentado que pai e filho se reaproximassem. Os dois se encontraram quando o menino tinha seis e quando tinha nove anos.

Ao jornalístico, o filho biológico do ex-Globo declarou nunca ter recebido afeto do pai. O herdeiro chegou a processar o ex-apresentador em R$ 1 milhão por abandono afetivo, mas perdeu a ação e desistiu de ser amado e ter uma ligação familiar com o ex-âncora do Jornal Nacional.

Rodrigo, que mora em São Paulo, e Roger, que reside no Rio de Janeiro, decidiram se unir após se conhecerem no A Hora da Venenosa. Desde então, criaram vínculo. "Não o conhecia, porque o Cid não o tratava como filho. Não falava: 'aquele é meu filho'. Nunca teve esse tratamento. Era como se fosse uma pessoa estranha para ele", conta o cabeleireiro.

"Agora que nos aproximamos, porque o Cid não teve relação alguma com ele. O Rodrigo nunca fez parte da nossa vida. Ele apareceu agora porque viu a matéria [na televisão]", destaca.

Tornar a história pública foi a única forma que Roger encontrou para chamar a atenção do pai. De acordo com ele, se o comunicador desejar a reconciliação, tudo pode terminar da melhor forma.

"Essa história é o contrário do que as pessoas falam. Não quero dinheiro. A ação foi o único jeito de ser ouvido. Nunca dependi de nenhum centavo do Cid. Vivo do meu sustento. Não o cobro por isso. É difícil eu falar. Essas coisas de família são complicadas", observa.

"Nós só queremos carinho. Se ele [Moreira] quiser, a gente pode reverter isso. Eu cancelo esse processo, e tentamos reparar isso de alguma forma. Eu e Rodrigo temos carinho por ele, mesmo que ele não tenha por nós", finaliza.

Confira a matéria completa no Notícias da TV clicando neste link