Enquanto os aliados do presidente Jair Bolsonaro comemoram o conteúdo do vídeo da reunião ministerial divulgado pelo STF, a oposição aponta pontos polêmicos das imagens. A maior crítica tem sido direcionada ao trecho em que o presidente supostamente confirma a acusação do ex-ministro Sergio Moro, de que gostaria de trocar o comando da "segurança" no Rio de Janeiro.

"Bolsonaro fala abertamente em interferir de forma ilegal na polícia para proteger sua família e amigos. Quer obstruir investigações. Mourão, do lado, assiste ao presidente cometer crimes sobre os quais se calou. É um criminoso junto", disse a deputada Natália Bonavides (PT).