43 segundos, cinco entradas no Guinness: primeiro avião a voar em um túnel, primeiro avião a voar em dois túneis, mais longo voo sob um objeto sólido e mais longo voo num túnel (1730 m), e primeiro avião a decolar de um túnel. A uma média de 245 km/h no segundo túnel, o piloto italiano Dario Costa (41), da equipe Red Bull, realizou uma façanha inédita na história da aviação.

O voo aconteceu nos túneis de Çatalka, próximos a Istambul, Turquia, num percurso total de 2,26 km – o recorde é o período só dentro dos túneis. A preparação levou cerca de um ano, com medições em 3D precisas dos túneis e do avião recriadas numa simulação. na qual o piloto foi treinado até decorar a sequência de movimentos com segurança. Como parte do treinamento, Costa também dirigiu um carro nos mesmos túneis, a 270 km/h.

Avião dos túneis: modelo especial

A máquina, que parece um avião da Segunda Guerra, é o Zivko Edge 540, um modelo especial para acrobacias muito visto nos eventos da Red Bull, criado nos Estados Unidos e voando pela primeira vez em 1993. Com 8 metros de envergadura, apenas 4 metros separavam as pontas das asas. A altitude do voo foi de 70 cm a 1,60 m.

Ainda que o voo tenha sido simulado inúmeras vezes, um desvio do plano aconteceu – ao sair do primeiro túnel, Costa encontrou ventos laterais, e teve que agir rapidamente para corrigir o curso. O tempo de reação a qualquer mudança, segundo a equipe Red Bull, já estava calculado, e era de 250 milissegundos – se Costa demorasse mais que isso para agir, seria catástrofe.

O avião, na saída do túnel, antes de pousar, fez um loop comemorativo, enquanto Costa vibrava dentro do cockpit.

“Eu nunca voei num túnel na minha vida – ninguém nunca tinha feito isso – então havia essa grande interrogação na minha cabeça se tudo correria como previsto”, afirmou Dario Costa. “Foi um enorme alívio, é claro, mas também uma grande, grande felicidade foi a emoção principal. Para mim, é um sonho tornado realidade.”

Fonte: Olhar Digital