O presidente Jair Bolsonaro (PL) deu entrada no Hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira (3), devido a mais um quadro de suboclusão intestinal, também conhecida como obstrução intestinal.

"Ele está estável, em tratamento e será reavaliado ao longo desta manhã pela equipe do doutor Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo. No momento, sem previsão de alta", diz o boletim médico enviado ao UOL.

Em seu perfil no Twitter, o presidente disse que começou a passar mal após o almoço do último domingo e é possível que seja submetido a uma "cirurgia de obstrução interna na região abdominal". Mas o médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo, que operou Bolsonaro após a facada que levou no abdome, em setembro de 2018, e o acompanha desde então, disse que, como o quadro ainda é investigado, não se sabe se uma cirurgia será necessária.

"Ele fará tomografia e mais exames para sabermos o que há no abdome. Ainda não sabemos, mas pode ser causado, por exemplo, por um alimento mal mastigado, entre outros fatores", afirmou à reportagem.

Em entrevista ao UOL News desta segunda-feira (3), o médico gastroenterologista Rogério Alves, disse que, provavelmente, o presidente teve mais um caso de obstrução intestinal devido às cirurgias anteriores.

Alves lembrou ainda que, em um primeiro momento, optou-se por um tratamento clínico com uma sonda para avaliar se durante um repouso, o intestino voltava a funcionar normalmente. "No caso do presidente, os médicos tentam evitar a cirurgia, porque cada vez que se opera de novo, é um quadro mais difícil de resolver", explica. "Mas se entupir de vez só se resolve operando mesmo".

O que é obstrução intestinal?

A obstrução intestinal, seja ela parcial ou total, ocorre quando há interferência nos impulsos que levam o bolo fecal em direção ao ânus, prejudicando ou interrompendo o trânsito no intestino. O presidente já havia apresentado o problema em setembro de 2018, após passar por uma cirurgia para corrigir uma distensão abdominal.

Na ocasião, explica a médica gastroenterologista Elaine Moreira, do Instituto Endovitta, a obstrução intestinal surgiu por causa de uma fístula —basicamente, um canal criado cirurgicamente para conectar vísceras (como o intestino) entre elas ou a vasos sanguíneos e outros órgãos.

Em julho de 2021, Bolsonaro foi novamente diagnosticado com obstrução. Ou seja, está já é a terceira vez. De acordo com Marcos Belotto, cirurgião especializado no aparelho digestivo, existem pacientes que têm obstruções repetitivas e outros, não. "Isso varia, infelizmente, de organismo para organismo. Depende da alça intestinal de cada paciente", explica.

Principais sintomas de obstrução intestinal

  • Dor e inchaço abdominal;
  • Falta ou diminuição do apetite;
  • Náuseas e vômitos;
  • Diarreia;
  • Intestino preso;
  • Gases;
  • Febre alta (apenas em casos graves).

Tratamento

É comum que obstruções gastrointestinais sejam tratadas com cirurgias. "Geralmente, é uma cirurgia que não envolve muitos riscos, mas depende do estado do paciente, da idade", diz Belotto.

Em casos em que o procedimento cirúrgico não é recomendado —por outras questões de saúde do paciente— são administrados medicamentos ou realizados procedimentos para aliviar os sintomas causados pela obstrução, por exemplo:

  • Líquidos intravenosos;
  • Utilização de sonda nasogástrica;
  • Uso de um tubo expansível colocado na obstrução para facilitar o movimento do trato gastrointestinal;
  • Medicamentos para cessar a inflamação e a dor.

Fonte: Viva Bem