O vice-presidente da FIERN, Francisco Vilmar Pereira, participou nesta quinta-feira (2) de reunião na Secretaria de Desenvolvimento Econômico do RN (Sedec), com o secretário Jaime Calado e o empresário Maurício Russomanno, presidente da Unipar. A empresa do ramo cloroquímico possui duas fábricas no Brasil, no estado de São Paulo, e uma na Argentina, e estuda instalar uma nova unidade no Rio Grande do Norte para atender o mercado do Nordeste.

 

Vilmar Pereira observa que, com a desativação de poços da Petrobras no Rio Grande do Norte, há muita mão de obra de alta qualidade disponível no nosso estado, sobretudo na região de Guamaré onde a Unipar pretende instalar a fábrica.

 

“É de suma importância aproveitar a oportunidade e os profissionais excelentes disponíveis. Além disso, há uma alta produção de sal, que poderá consumir esse sal. A instalação da fábrica de um grupo sólido e reconhecido como este irá estimular investimentos e a geração de emprego e renda na região. A empresa tem expectativa de gerar de 560 empregos diretos. Saímos da reunião bastante animados. Como representante do presidente Amaro Sales, colocamos a disposição toda nossa estrutura do Sistema Indústria formado pela FIERN, SESI, IEL e o SENAI com o CTGAS-ER e o ISI-ER”, disse o vice-presidente.

 

Foto: Daniel Herrera/SEDEC

 

O presidente da Unipar explicou que esteve ontem visitando Guamaré para avaliar a possibilidade de instalação de uma unidade fabril no município do litoral norte potiguar. Entre os produtos da empresa, destacam-se a soda cáustica e o cloro, resultantes de um processo químico que utiliza água, sal e energia elétrica, todos insumos abundantes nos terrenos visitados.

“Estamos olhando lugares no Nordeste onde estão disponíveis esses insumos, essas matérias-primas, onde tenha uma boa logística para escoar a produção e que tenha também o suporte do governo para facilitar esse processo de instalação de uma nova unidade”, explicou o CEO.

 

A Unipar estuda também a possibilidade de implantação de uma fábrica de PVC em um segundo momento, a exemplo das duas unidades que já possui no Brasil e Argentina. O projeto, no entanto, dependeria de uma grande quantidade de gás natural, que, combinado ao cloro, produz o material largamente utilizado no mercado de construção civil. Os técnicos da empresa já estão em contato com a Potigás para verificar também essa possibilidade.

 

O secretário Jaime Calado exaltou os programas de incentivo que favorecem a instalação da fábrica no RN, especificamente o Proedi e RN Gás Mais. “O incentivo para a indústria cloroquímica é o maior previsto na lei do Proedi, porque é estratégico para o estado. Temos atualmente a melhor política de incentivos do país”, esclareceu o secretário.

 

Sobre Unipar
Empresa brasileira com 50 anos de história, A Unipar é a maior produtora de cloro e soda cáustica da América Latina, produzindo 600 mil e 550 mil toneladas de cada produto, respectivamente, e emprega 1.400 colaboradores altamente qualificados. Além disso, desenvolve projetos socioambientais, contribuindo para o desenvolvimento das comunidades e sustentabilidade no entorno de suas fábricas.