O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN), Amaro Sales, reuniu-se na noite desta quinta (25) com os presidentes das demais federações e instituições empresariais do Rio Grande do Norte com a finalidade de apresentar dados do Observatório da Covid, estudo que vem sendo conduzido pelo Mais RN – núcleo de inteligência da FIERN – sobre a pandemia e, a partir dos números, discutir soluções para auxiliar a classe produtiva a passar pelo grave momento de crise sanitária e econômica.

Participaram da reunião o presidente da Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca, José Vieira Alves; o presidente da Federação , Eudo Laranjeiras; o superintendente do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do RN (Sebrae), Zeca Melo;  o superintendente do sistema Fecomércio, Marcelo Queiroz; o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal, José Lucena e o presidente da Federação das Associações Comerciais do Rio Grande do Norte (FACERN), Itamar Maciel; o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/RN), Paolo Passariello; o presidente da Federação da Câmara de Dirigentes Lojistas (FCDL), Afrânio Miranda; além do coordenador técnico do Mais RN, José Bezerra Marinho.

A reunião contou com uma apresentação do assessor técnico de Economia e Pesquisa da FIERN, Pedro Albuquerque, que exibiu uma análise dos números da pandemia fornecidos pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte; e em paralelo números que mostram como as empresas estão acumulando prejuízos e demissões diante das dificuldades impostas pela crise sanitária.

O fórum dos dirigentes discutiu a elaboração de uma série de sugestões ao Poder Público com caminhos para reduzir os danos causados às empresas com a evolução da pandemia. “Estamos alinhando o pensamento da classe empresarial, para que tenhamos um bloco de discussão único. Como disse o Papa Francisco ainda no início da pandemia, ‘ninguém passará por essa sozinho’. Precisamos estar unidos”, registrou o presidente da FIERN, Amaro Sales.

Para Sales, é preciso se buscar um ponto de equilíbrio que garanta a redução do avanço do vírus, a assistência aos doentes, a vacinação da população e o funcionamento da atividade econômica com distanciamento social controlado. “A pandemia afetou gravemente não somente a questão sanitária, mas a econômica. É preciso se encontrar caminhos para garantir que o sistema produtivo tenha um suporte para a sua sobrevivência”, afirmou.