O jovem negro Matheus Ribeiro, 22, acusado injustamente de furtar a sua própria bicicleta por um casal branco no Leblon, bairro nobre da zona sul do Rio de Janeiro, agora está sendo investigado por receptação do mesmo veículo.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro descobriu que a bicicleta de Matheus, comprada de segunda mão por R$ 3.600, foi furtada de um empresário, em fevereiro deste ano, em Ipanema.

Matheus, que é instrutor de surfe, apresentou para a polícia o comprovante de pagamento da bicicleta. O produto estava sendo vendido em um site de produtos usados.

O homem que vendeu a bicicleta para Matheus também está sendo investigado por receptação. Em nota, a Polícia Civil do Rio de Janeiro disse que o vendedor disse ter avisado "Matheus desde o início que não possuía nota fiscal e por isso o preço estava abaixo do preço de mercado".

Em entrevista para o Fantástico, Matheus disse que não sabia que o produto tinha origem ilícita. "Não, a gente [Matheus e a namorada] nunca faria uma coisa do tipo. Por ser uma bicicleta usada, a gente especificou que tivesse próximo do valor de uma bicicleta nova", disse.

A Polícia Civil não tem informações sobre o autor do furto e não informou se o crime gerou a abertura de um boletim de ocorrência na época. A vítima foi localizada pela loja que vende o produto original, pelo número de chassi fornecido pela polícia.

A bicicleta foi apreendida e será devolvida ao "legítimo proprietário", informa a Polícia Civil, em nota.

Com informações de UOL